Investigação

Século XXI regista os anos mais quentes da história

  • Category: Notícias
  • Published: Tuesday, 25 March 2014 05:16
  • Written by Investigação

O relatório das Nações Unidas revela que são deste século, 13 dos 14 anos mais quentes. De positivo ficam as previsões meteorológicas que estão cada vez mais rigorosas
O ano passado foi, a par de 2007, o sexto ano mais quente desde que há registo. A temperatura média global das superfícies terrestre e oceânica em 2013 foi de 14,5 graus Celsius, o que significa uma subida de meio grau da média de 1961-1990 e 0,03oC acima da média de 2001-2010, que já foi a década mais quente da história. Estes são dados revelados no relatório da Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência das Nações Unidas, que vêm assim provar que o planeta está mesmo a aquecer a cada ano. "Não existem pausas no aquecimento global", lembrou Michel Jarraud secretário-geral da OMM, contrariando algumas teorias que defendiam uma inversão desse processo.

Cientistas criaram a primeira planta biónica Superpoderosa

  • Category: Notícias
  • Published: Friday, 21 March 2014 05:11
  • Written by Investigação

Ao incorporarem nanotubos de carbono nas folhas de plantas, cientistas do MIT mudaram a forma como as plantas funcionam.
Juan Pablo Giraldo, do MIT, um dos autores da investigação, explicou que esta técnica foi pensada para «novos biomateriais híbridos», que beneficiem da energia solar, dando como exemplo «materiais de auto-reparação, detetores de poluentes, pesticidas e infecções fúngicas e bacterianas».
É sabido que o grafeno consegue absorver a luz do sol, pelo que estes nanotubos de carbono usados nas plantas biónicas são folhas de grafeno enroladas.
A investigação mostra que as taxas de fotossíntese nas plantas injetadas com os nanotubos eram três vezes maiores do que as outras.

Nano-pinças ópticas assumem o controle de nano-objetos

  • Category: Notícias
  • Published: Sunday, 02 March 2014 04:46
  • Written by Investigação

Os cientistas procuram novas ferramentas para manipular, observar e modificar os “blocos de construção” da matéria em escala nanométrica. Com isto em mente, a recente publicação na revista Nature Nanotechnology em que os investigadores ICFO demonstram pela primeira vez que a capacidade de usar pinças ópticas para prender um nano-objeto e manipulá-lo nas três dimensões do espaço, é uma conquista emocionante. Romain Quidant, Professor ICREA e líder no ICFO do grupo de pesquisa Plasmon Nano-Optics comenta que “esta técnica pode revolucionar o campo da nanociência, já que, pela primeira vez, nós mostramos que é possível a manipulação 3D e lançar um único nano-objeto sem exercer qualquer contato mecânico ou outra ação invasiva”.

Share This